29 de Fevereiro de 2024 | Quinzenário Regional | Diário Online
PUBLICIDADE

Cantanhede: Ciclo de Teatro Amador com espectáculos em Casal de Cadima e Murtede

23 de Janeiro 2024

Depois da abertura, no passado sábado (20), com o espectáculo “60 Anos de Carreira. António Sala – O Comunicador”, perante uma assistência que encheu o Multiusos de Febres, o Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede tem a sua primeira jornada no próximo fim-de-semana com as estreias das peças de dois grupos cénicos nas comunidades onde desenvolvem a sua actividade.

No sábado, 27 de Janeiro, às 21h30, o Grupo de Teatro da Associação Cultural e Desportiva do Casal apresenta na sua sede, na Freguesia de Cadima, duas comédias.

Uma delas, intitulada “Milagre no Convento de Santa Maria-Joana”, retrata a história ocorrida numa loja conventual, cujas vendas financiam as boas obras das Irmãs Ervanárias. O famoso elixir de Santa Maria-Joana perdeu todo o esplendor de outrora, a ponto de pôr em risco a economia desta peculiar comunidade. Feliz ou infelizmente, a Irmã Ana, que estava encarregue da destilaria do Convento, morre, pelo que teve de ser substituída pela Irmã Inês, uma freira noviça revolucionária, que encarava aquela delicada e exigente função numa perspectiva um pouco mais heterodoxa. E foi assim que, ao tentar renovar a fórmula do elixir acrescentando uma erva misteriosa à preparação, fez dele um sucesso que viria a dar muito que falar…

No final da peça, segue-se o já habitual “Cortar na Casaca” sketch de pendor musical em que o grupo de teatro, através da sátira e do bom humor, faz crítica social e as políticas locais e nacionais.

No domingo, 28 de Janeiro, às16.00 horas, é a vez do Grupo de Teatro Experimental “A Fonte” de Murtede subir ao palco da sua sede para representar “Família, Família, Negócios à Parte”. Trata-se de um enredo de Cristina Serém e Daniela Almeida que se desenrola em torno da personagem de Carlos António Coutinho de Marialva, empresário do ramo vinícola do concelho de Cantanhede. Numa das suas viagens de negócio, contrai uma doença rara, que o deixa em estado vegetativo. Com um prognóstico muito reservado, a sua perspectiva de vida é curta, podendo ser meses, semanas ou até dias. A sinopse do espectáculo deixa no ar dúvidas sobre o caso, lembrando que, “por mais que a sociedade evolua, a ambição e o individualismo continuam a reinar nesta sociedade dita civilizada”.

O XXIV Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede decorre até Abril com a participação de 17 grupos cénicos e mais de 300 actores e outros intervenientes. Segundo o modelo definido para esta acção de dinamização cultural, as associações que dão corpo á iniciativa realizam dois espectáculos, um na sua comunidade, outro na “casa” de outra entidade envolvida.


  • Director: Lino Vinhal
  • Director-Adjunto: Luís Carlos Melo

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Armazém D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Site optimizado para as versões do Internet Explorer iguais ou superiores a 9, Google Chrome e Firefox

Powered by DIGITAL RM