30 de Julho de 2021 | Quinzenário Regional | Diário Online
PUBLICIDADE

Sicó capta mais de 200 milhões de euros do ‘Portugal 2020’

20 de Junho 2021

O Portugal 2020, instrumento financiado por fundos europeus que arrancou em 2014 e consagra a política nacional de desenvolvimento económico, social e territorial está a caminhar, a passos largos, para o fim da sua execução e, contas feitas, a injecção de apoios no território de Sicó vai ultrapassar os 200 milhões de euros.

O montante financeiro alocado aos perto de 1.800 projectos aprovados, até Março de 2020, ascende aos 218,5 milhões de euros, de acordo com dados oficiais compilados a partir do portal Mais Transparência.

Os fundos do Portugal 2020 procuraram apoiar as empresas e a competitividade e internacionalização da economia nacional, a sustentabilidade e eficiência no uso de recursos, o capital humano, a inclusão social e o emprego. O investimento foi distribuído de acordo com as prioridades estratégicas de cada fundo.

Nos seis concelhos de Sicó, mais de um milhar de empresas, autarquias, associações e outras entidades viram os seus projectos financiados. Todavia, uma parte significativa do investimento de mais de 200 milhões de euros aprovado ainda não está executado, numa situação comum ao todo nacional.

“A região Centro teve algumas vicissitudes neste quadro comunitário que provocaram atrasos na execução dos projectos, sobretudos os grandes incêndios e também a pandemia, mas vejo esta fase final com muito entusiasmo, porque estamos a ficar com níveis de execução muito interessantes”, afirmou ao TERRAS DE SICÓ a presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC). Isabel Damasceno deixa a garantia de que “não vamos perder qualquer tipo de verbas que estão alocadas à região, iremos executar tudo, e é com optimismo que vejo este encerrar de ciclo”, frisa.

Por outro lado, a líder da CCDRC considera “muito bom, tendo em conta o território”, o montante de financiamentos alcançado em Sicó.

“Muitas vezes pensamos: o que seria dos nossos territórios se não fossem os fundos comunitários”, interroga-se Isabel Damasceno, salientando tratar-se de “uma ajuda preciosa ao desenvolvimento, à criação de oportunidades que levam a que estes territórios não sejam esquecidos e isso é muito importante. Não vale a pena pensar que é por milagre que as pessoas vêm para estes territórios, não os podemos abandonar, temos obrigatoriamente de criar as mesmas condições que outros têm para os que cá estão e, se possível, para que outros venham”, preconiza.

Tendo por base as finalidades estratégicas definidas, o Portugal 2020 encontrava-se organizado em 16 programas operacionais diferentes, temáticos e regionais, de que é exemplo o Centro 2020, à conta do qual Sicó arrecadou já mais de 75 milhões de euros.

Nas contas disponíveis do Portugal 2020, o concelho de Pombal obteve apoios de 92,6 milhões de euros, para financiar 813 projectos. Ansião conseguiu 33,8 milhões de euros para 249 projectos, enquanto Soure alcançou 30,2 milhões para investir em 183 projectos.

Já o concelho de Penela captou 24,5 milhões para 196 projectos e o de Alvaiázere 21 milhões de euros para 134 projectos. Por fim, Condeixa obteve 16,4 milhões para 199 projectos de investimento.

O Portugal 2020 dispunha de um pacote financeiro de 21,8 mil milhões.

[NOTÍCIA DA EDIÇÃO IMPRESSA]


  • Director: Lino Vinhal
  • Director-Adjunto: Luís Carlos Melo

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Armazém D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Site optimizado para as versões do Internet Explorer iguais ou superiores a 9, Google Chrome e Firefox

Powered by DIGITAL RM